No Sopé da Montanha o Arbusto Verga mas não Quebra

Todas as Descrições são Pecaminosas

sábado, novembro 03, 2007

Desejo Ser o Outro

Na moita à coca espreitas
Fracasso meu anseias
Leio-o no teu olhar
Com que me rodeias

Pudesse eu partir
Para não ser tua sombra
Pudesses brilhar por ti
Sem lembranças de mim

Talvez imagines Sóis
Em Luas crescentes
Ilusões não são sementes
Nem tão pouco o que sentes

Vês-me teu inimigo
Sonhas como o meu ser
Não pedi para nascer
Muito menos para morrer

Se em mim te imaginas ao espelho
Terás de ter muito mais engenho
Nada se consegue sem empenho
E muito menos em cima do joelho

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home