No Sopé da Montanha o Arbusto Verga mas não Quebra

Todas as Descrições são Pecaminosas

terça-feira, julho 03, 2007

Exortação

Perdida de ti
Por montes e vales te consomes
Deixa de sofrer,
teus olhos brilharão
Não interessa quem te deixou
Pouco importa quem te abandonou
quem o céu como limite te prometeu,
E nem um pouquinho te amou
Deixa de sofrer,

Do mar à serra
Em vão te procuras
Num recanto te velas
Noutro te revelas
Mas una serás ...
Deixa de sofrer,
Nos ocultos de ti
Forças procuras
Aventureira de ti
alegrias sentirás
Em cada alvorada
que renasce em ti

Mil estrelas iluminarão
Teu destino almejado
Teus medos às calendas irão
Tens o mundo na tua mão
Filha minha, do coração
Terás sempre a minha mão
3/7/07

3 Comments:

  • At 3/7/07, Anonymous Mel de Carvalho said…

    Belo poema, bela dádiva, a de uma mão amiga: a mão de mãe. Eterna esta relação.

    Bom ler-te aqui no Sopé da Montanha. Bom abraçar-te deste lado do mar

    Um beijo d(a)e Mel

     
  • At 8/7/07, Anonymous Rosa Maria said…

    As palavras que escreves fazem-me entristecer, apenas pq se aplicam a alguém que amo e nunca me ouve...ou finge que não...
    para ti, fica um beijo

     
  • At 10/7/07, Anonymous Rosa Maria said…

    Hoje, venho apenas agradecer as tuas palavras...

     

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home