No Sopé da Montanha o Arbusto Verga mas não Quebra

Todas as Descrições são Pecaminosas

domingo, junho 10, 2007

Papel Principal


Meu, meu ser e meu destino
Renego o mundo que é teu

Já foi actor secundário
Marioneta de um semi deus
Um fado para mim teceu
Tão pouco do que era meu

O querer de outros vivi
Tão pouco foi feliz assim

Num propósito pessoal
Paciente de um destino
Ventos e marés reverti
Em personagem principal
Num destino em construção
Mais afim do coração

Amei quem quis me amar
Estive com quem quis estar
Fiz o que me pareceu justo
Amei quem quis amar
Deixei de me julgar

O resto mandei passear
Atrapalhos do meu ser
Deixou de me preocupar
Entre o ser e o parecer
Escolhi o prazer de ser
Eu própria, em cada amanhecer
10/6/07

4 Comments:

  • At 16/6/07, Anonymous Rosa Maria said…

    No papel principal, da nossa vida, fica o nosso "EU", sempre...caso contrário, a "peça" da vida, desmorona...Fica um beijo

     
  • At 16/6/07, Blogger outro said…

    O prazer de ser o verdadeiro "EU", nada o poderá superar!Sê tu sim, Juvelina, faz o que realmente gostas, mesmo que esse não seja o papel principal.

    Posso parecer ausente ou distante, mas não ligues, porque não é verdade.
    Tenho sempre no coração quem mais me diz, quem mais me acompanha, mesmo que apenas em pensamento.

    Um beijinho grande e meu!

     
  • At 17/6/07, Blogger JuvePP said…

    Olá Outro, quem quer que sejas, ainda que anónimo, vieste por bem e deixaste-me muito sensibilazada com o teu conselho. Fiquei com a sensação de que para ti eu terei um rosto. Agradeço do coração as tuas palavras. Beijos grandes e quem quer que sejas uma óptima semana de trabalho.

     
  • At 28/6/07, Blogger ContorNUS said…

    gostei da abordagem da viagem ao verbo "ser" no papel genuíno da nossa verdadeira essência ;)

     

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home