No Sopé da Montanha o Arbusto Verga mas não Quebra

Todas as Descrições são Pecaminosas

segunda-feira, maio 07, 2007

Diferentes mas Iguais

Pé descalço sabe bem
Nunca será ninguém!
Ao pé do sapato d’Alguém

Aquele não tem vintém
Este, não sabe Quantos tem

Brilha o Sol, ilumina a Lua
Todos a reclamam sua
Gira a Terra e rebola
Atrás de outra Bola

A cada tola,
Sua mania
A todos,
Sua fantasia
7/5/07

6 Comments:

  • At 10/5/07, Blogger Ana Luar said…

    Belissimo jogo de palavras...

     
  • At 11/5/07, Blogger Ana S. said…

    Machico também? o mundo é mesmo pequeno lol
    Independentemente do que calçar o pé, sem sapatos são todos iguais e isso é o mais importante.
    Beijos

     
  • At 13/5/07, Blogger impulsos said…

    Todos diferentes, mas na hora da verdade... todos iguais!

    Beijo num impulso meu

     
  • At 19/5/07, Blogger Angela said…

    Gostei deste jogo de sonoridades.

    No fundo, a nossa essência é a mesma.

    Um grande beijinho para ti.

     
  • At 23/5/07, Anonymous Mel de Carvalho said…

    Hoje acordei e voei até Machico. Não conheço, lamentavelmente. Mas vim atá aqui, onde o vento beija a montanha. Dar-te um abraço e ler-te num espaço teu e próprio.

    Um poema onde as desigualdades se retraram num belon jogo de palavras.

    Um abraço, amiga
    Beijito
    Mel de Carvalho
    in
    www.noitedemel.blogs.sapo.pt
    www.maresiademel.blogs.sapo.pt

    PS: Vou anexar-te aos meus links nos meus blogs.

     
  • At 24/5/07, Blogger Lindona said…

    Gostei.

     

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home