No Sopé da Montanha o Arbusto Verga mas não Quebra

Todas as Descrições são Pecaminosas

segunda-feira, abril 23, 2007

Crianças de um Tempo Nosso



Teu rosto criança
Tão longe da infância
De olhar perdido
De sorriso esguio

Teus olhos, bem os sinto
cansados e magoados
Não são de criança
Esses lábios cerrados

Há uma mágoa funda
No teu íntimo calada
Criança abusada
Em vez de pão …
porrada te dão

Quem te mutilou, lixo te achou
Em vez de beijo, lágrima negra
Em teu rosto vincou

Em idos de liberdade
Teu futuro aprisionou
Viveras em reino de amor
Teu sorriso seria uma flor
(...)
24/04/07

6 Comments:

  • At 23/4/07, Anonymous Rosa Maria said…

    Triste...mas tão verdadeiro nos dias que correm...
    Para ti, um abraço

     
  • At 26/4/07, Blogger impulsos said…

    Olá Juvelina!

    Mais um poema daqueles que tu sabes escrever tão bem e que vão direitinhos ao coração de quem os ler!
    "Viveras em reino de amor
    Teu sorriso seria uma flor"
    Sem dúvida que seria!
    Mas não é... infelizmente.
    E todos os dias nos entram pela casa dentro, crianças destas, na hora em que mais nos tocam...

    Beijo num impulso

    PS. Obrigada pela tua visita aos meus impulsos.És sempre uma visita que muito respeito e admiro!

     
  • At 27/4/07, Blogger Narcisus said…

    Arrepiante, realista e nuito bem escrito.

     
  • At 28/4/07, Blogger Angela said…

    Este é um poema que dói porque fala de uma realidade demasiado cruel.
    Nada neste mundo deveria tirar o sorriso a uma criança.

    Um grande beijinho para ti.

     
  • At 2/5/07, Blogger Entre linhas... said…

    Muito triste mas muito verdadeiro,palavras sentidas,sentimentos magoados.

    Bjs Zita

     
  • At 2/5/07, Blogger Confúcio Costa said…

    As crianças. Como nós. Crianças em corpos disformes.

    Abraço.

     

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home