No Sopé da Montanha o Arbusto Verga mas não Quebra

Todas as Descrições são Pecaminosas

domingo, outubro 14, 2007

O Longe de Ti

Em noites de nevoeiro carregado
em espera sem fim queda-me a alma,
Não vislumbrando sinais de ti
Teus olhos a cintilar, a sorrir
Com todas as forças do meu ser
Era o cúmulo do meu querer
Em noites de lua cheia
Meus passos a ti vão
Olhos postos no chão
Ouço vozes de mim
Clamando sem fim
Um olhar de ti

As distâncias alongam
As saudades de ti

2 Comments:

  • At 15/10/07, Blogger Professorinha said…

    Parting is such a sweet sorrow...

    O melhor é depois matar as saudades..

    Fica bem

     
  • At 16/10/07, Blogger impulsos said…

    Pois é, querida amiga Ju...
    As distancias alongam-se tanto, que cada vez é mais difícil suportar a saudade...

    Um beijo de carinho

     

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home