No Sopé da Montanha o Arbusto Verga mas não Quebra

Todas as Descrições são Pecaminosas

terça-feira, setembro 12, 2006

Ciclos da Vida



Na paragem mais próxima
apeei-me a meio
E da minha paragem
Vejo-te chegar,
sonhos que trazes
Vejo-te partir,
sonhos que levas
Na mochilha um sorriso
de eterna criança
Recordas-me a infância
de meninice gaiata
Que inocente à vida sorria
todos os trilhos experimentava
Todos os obstáculos vencia
Tudo era correcto
Tudo se movia
Tudo era certo
Tudo sorria
Outros trilhos se cruzam
noutras paragens, noutros destinos
Com entusiasmos de outrora
São andorinhas de outras paragens
que da minha vejo partir
e ao mundo sorrir
12/09/06

2 Comments:

  • At 13/9/06, Anonymous MEDUSA said…

    Recordações de um tempo que nos marca para o resto da vida!
    O tempo da escola, estará sempre presente na nossa memória, pelos colegas, pelas situações, pela magia que tinha...
    Agora é tempo de ver os nossos filhos viverem o seu e , dele também poderem guardar boas recordações para o futuro.
    Tens coisas muito bonitas por aqui!
    Textos escritos com muita paixão e sensibilidade.
    Gostei!

    Um bjo e um eco de mim

     
  • At 1/10/06, Anonymous MEDUSA said…

    Olá!
    Venho agradecer as simpáticas visitas e as palavras deixadas ali, no meu humilde cantinho.
    Um beijinho meu

     

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home