No Sopé da Montanha o Arbusto Verga mas não Quebra

Todas as Descrições são Pecaminosas

segunda-feira, julho 31, 2006

Abraços

gestos que sincronizam os meus,
Olhares que aos meus sorriem,
vozes que me acarinham
Beijos mil vezes sonhados
por mares sem fim distanciados
Em nós outros mares existem
Bem mais difíceis de navegar
Nosso encontro foi mágico
fusão de almas, seres enlaçados
No abraço há muito ansiado
E no último olhar confimámos
Não haver mares que nos afastem
certas estarmos do nosso lugar
Companhias de viagens
Não mais nos vamos isolar
E a jornada partilhar
1/8/06

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home