No Sopé da Montanha o Arbusto Verga mas não Quebra

Todas as Descrições são Pecaminosas

quarta-feira, maio 24, 2006

Vou




Vou para longe, para muito longe ...

Onde não veja,
não sinta tua cara de ingratidão !
Tão longe quanto não passes de uma sombra,
de uma irrealidade, de um acaso perdido numa das esquinas da vida
Dói partir,
sinto-o bem
sabe ao doce acre da amargura e da esperança de não mais te ver
Não mais sentir a dor de remar contra a maré
Foste meu sonho, minha ilusão, tua realização perdida
Sobra a certeza
de que tudo tem um fim,
Sobra a esperança,
de que não há mal que perdure
Sobra a certeza,
de outros percursos alternativos
Sobra a confiança,
de que nada será tão ingrato quanto foste
Sobra a certeza,
que o trigo sobrepor-se-á ao joio
Sobra a certeza,
que o mal esmagado será pelo bem
Sobra ainda,
a fé no Ser Humano
27/5/06

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home