No Sopé da Montanha o Arbusto Verga mas não Quebra

Todas as Descrições são Pecaminosas

quarta-feira, março 26, 2008

E Agora Maria …

Foram-se os filhos à vida
E de dez que tu criaste
Tão parca de companhia
Vives o teu dia-a-dia

Memórias recorrentes
tempos que outrora foram
de tristezas e alegrias
de orgulhos embevecidos
de mulher de fé vaidosa
de suas vidas levantadas

Eram o brilho do teu olhar
Em canseiras prazenteiras
Doze pratos sobre a mesa
Em risonhas brincadeiras
Era a vida no seu melhor
Abarrotar de amor

E Agora…

Maria, Como vão os dias?
Um a um todos se foram
Dois pratos sobre a mesa
O apetite que vai faltando
As saudades aumentando
As forças minguando
Um silêncio impiedoso
Torna tudo tão penoso

Olhos vazios, tristonhos
Tão sombrios de abandonos
Assim vives os teus dias
Tão dorida quanto esquecida
20/3/08

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home