No Sopé da Montanha o Arbusto Verga mas não Quebra

Todas as Descrições são Pecaminosas

quinta-feira, novembro 16, 2006

Palavras do Coração



Senti que não era bem assim
Palavras ditas, nem sempre sentidas
Vezes não, vezes sim

Falavas, falavas …
Com o Coração na boca
sentimentos expressavas,
Meiguices, ternuras, carinhos
Ao Céu me conduzias

Que eu bem sei …

Mas tudo, tudo foi em vão
Não espelhavam o coração
Tamanha era a contradição

Dizias e sentias
Realidades bem diferentes
Na boca bondoso coração tinhas

Mas lá morava uma seta
de cupido envenenada
Lesta a disparar, nem foguetão
na primeira ocasião

Já não enganas, não.
As palavras e os olhos são diferentes
Aí isso, são.

(Post scriptum: As palavras, já não são de palavra)
16/11/o6

3 Comments:

  • At 19/11/06, Blogger Tixinha said…

    Por vezes as palavras dizem o que o coração quer sentir.. jinhos

     
  • At 19/11/06, Blogger }}cleopatra{{ said…

    E qundo se descobre... é a desilusão!
    Mas fica-se com a certeza, de que afinal as palavras são um ludíbrio... uma arma poderosa, capaz de matar um coração!
    Não haja ilusão... as palavras são aquilo que são! Se valem ou não... só o tempo o dirá!

    Beijo soprado

     
  • At 19/11/06, Blogger Paulo Sempre said…

    São inuteis as palavras quando nos deslumbramos com blogues assim.
    Beijo
    Paulo

     

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home