No Sopé da Montanha o Arbusto Verga mas não Quebra

Todas as Descrições são Pecaminosas

segunda-feira, novembro 20, 2006

Alegria

Nas esquinas da vida perdi-te
Para longe de mim fugiste
Já pouco ou nada sei de ti
Conta-se as vezes que te senti

Eras a inocência expectante
Eras a transparência em botão
Eras a minha força vigorante
Eras a minha total emoção

Passas-te por mim
De alto a baixo me alvejaste
Já não eras mais em mim
A doce alegria inebriante

Voltará o Sol fulminante
O Sorriso de um dia nascente
O sal da vida encadescente ...

Mas voltaste em todo o teu esplendor
Estrela guia divinal, como só tu, sabes ser
O cachimbo fumámos e nos amámos
E desde então, porque não
Arrebataste-me o coração
20/11/06

2 Comments:

  • At 24/11/06, Blogger Tixinha said…

    Só para deixar um beijinho..*

     
  • At 25/11/06, Blogger }}cleopatra{{ said…

    Mais um poema belo e sentido, como tão bem sabes fazer!
    É tão bom quando duas almas se voltam a reencontrar e descobrem que afinal nunca deixaram de se amar!
    É lindo e cheio de emoção... momentos inexplicáveis...

    Um beijinho soprado e meu

     

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home