No Sopé da Montanha o Arbusto Verga mas não Quebra

Todas as Descrições são Pecaminosas

sexta-feira, outubro 14, 2005

Os Nossos Entes Queridos

A morte dos nossos entes queridos

Não é apenas
o nosso mundo
as nossas relações
a nossa afectividade
As vozes do nosso coração
Que afunilando vão

É também
rostos caras desfocadas
memórias extremadas
mundividências apagadas
recordações nubladas

É ainda
Os jardins da nossa infância
em desertos transformados
Roseirais depenados
Gestos, sorrisos idos
Afectos brumas feitos

A morte dos nossos entes queridos vem nos à memória retalhos de Nós

A morte dos nossos entes queridos levam pedaços de Nós

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home